Dissertação de Mestrado:
Caracterização das Águas do Canal do Mangue: Diagnóstico e Propostas

Marisa Magalhães da Silva

PEAMB
Orientador
Profa. Daniele Maia Bila , D.Sc. 2005 - COPPE/UFRJ - Currículo LattesInformação Academica
Coorientador
Prof. Dr. Geraldo Lippel Sant’Anna Júnior, D. Sc (Coorientador)
Banca
* Profa. Daniele Maia Bila , D.Sc. 2005 - COPPE/UFRJ - Currículo LattesInformação Academica
* Prof. Alfredo Akira Ohnuma Júnior , Prof. Dr. - Currículo LattesInformação Academica
* Prof. Dr. Geraldo Lippel Sant'Anna Júnior, D. Sc (Coorientador) - PEAMB/UERJ
* Profa.Dra. Simone Maria Ribas Vendramel - IFRJ
* Dra. Marilia Teresa Lima do Nascimento - UFF
Data - hora da defesa
06/09/2017
Resumo
O Canal do Mangue, um importante corpo hídrico situado na região central da cidade do Rio de Janeiro, recebe águas de alguns rios locais e outras contribuições de águas pluviais. Parte do canal situa-se em área urbana com constantes transformações no quadro do projeto Porto Maravilha. O canal deságua na Baía da Guanabara, sistema hídrico ambientalmente fragilizado. Este trabalho tem por objetivo caracterizar as águas do Canal do Mangue, mediante diagnóstico prévio e propor alternativas de tratamento físico-químico. Foram realizadas quatro campanhas de amostragem no período de um ano, em cinco pontos ao longo do canal, de modo a verificar a qualidade da água. Para um dos pontos foram realizadas duas coletas adicionais de amostras para se investigar o tratamento físico-químico da água do canal com vistas a gerar água para reúso. Os resultados revelam qualidade insatisfatória das águas com respeito à maioria dos parâmetros avaliados, resultando em IQA de categoria Muito Ruim entre 20,7 e 25,7. Todavia, verificou-se que ao empregar um sistema de tratamento simples para parte da água do canal, é possível gerar água de reúso para aplicações não potáveis, como lavagem de ruas e praças, visto que foi possível remover a turbidez, cor verdadeira e coliformes termotolerantes, além de reduzir 88% da DQO bruta com uma concentração de 25 mg L-1 de FeCl3 no processo de coagulação/ floculação. Tais resultados encontram-se em conformidade com os limites normativos não potáveis deliberados nacional e internacionalmente. Adicionalmente foram realizadas observações sobre o estado de conservação do canal e propostas para aprimorar a sua dinâmica. Palavras-chave: Canal do Mangue; Qualidade da água; Tratamento de água; Reúso de água.

Download do Trabalho