NOTÍCIAS

Ver Notícias

Feed RSS

Assinar Notícias

Modificar/cancelar assinatura

Assuntos das Notícias

Assuntos Gerais

Comunicados Administrativos

Concursos Públicos

Coordenação Acadêmica

Cursos (Pós e Extensão)

Defesas FEN

Editais de Fomento à Pesquisa

Entrevistas

Estágios, Empregos e Bolsas

Opinião

Palestras, Seminários...

Todas as Notícias

Publicações UERJ

Informe UERJ

Revistas Online da UERJ

UERJ em Dia

UERJ em Questão

Links

Links Didáticos

Rodovia Que Liga Paraty Ao Interior de São Paulo Tem Trecho Restaurado

Criada em 06/04/2016 18:43 por maperna | Marcadores: DCCT dir fen geral


Projeto orçado em mais de R$ 100 milhoes foi planejado com ampla pesquisa histórica e ambiental sob a responsabilidade da UERJ

 

Por: Pedro Moraes 05/03/2016

 

Com a impaciência estampada no rosto e os braços cruzados, um grupo de operários aguarda junto a uma retroescavadeira. Próximo deles, uma arqueóloga da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (Uerj) avalia, deitada no chão, um antigo calçamento de pedra ao lado da obra. A pesquisadora estuda a configuração das pedras e dos materiais em um meticuloso trabalho que promete durar algumas horas. Interpelada a respeito do tempo que precisaria para liberar a área, a especialista responde: “Pouca coisa, apenas dois dias”. Essa cena insólita, descrita entre risadas pelos operários, foi rotina no projeto de recuperação da estrada centenária que liga Paraty, no litoral fluminense, ao município de Cunha, no interior de São Paulo. Iniciada em 2012, a obra está em fase de conclusão e deve se tornar, até o fim do mês, a segunda estrada-parque do Estado do Rio — a outra fica em Visconde de Mauá, na Serra da Mantiqueira. Aberta por tropeiros no século XVII como ligação entre a região produtora de ouro em Minas Gerais e o porto fluminense, ela tinha como principal objetivo escoar a carga preciosa até os navios que a levariam para Portugal. Hoje oficialmente chamada de RJ-165, foi alvo de longas discussões entre engenheiros, biólogos, arqueólogos e historiadores até que se chegasse a uma equação que unisse fluidez viária a preservação histórica e ambiental em um trecho de 10 quilômetros que corta o Parque Nacional da Serra da Bocaina, santuário ecológico com trechos intocados de Mata Atlântica. “É uma obra desafiadora, que nos fez procurar soluções originais e se tornou um aprendizado para a construção de futuras estradas­parque”, avalia o engenheiro Josué Setta, professor da Uerj e supervisor acadêmico da gestão ambiental do projeto, responsável pelo trabalho de 55 pesquisadores de seis áreas.

 

...

...

...

Veja a reportagem completa em:

 

http://vejario.abril.com.br/materia/cidade/rodovia-que-liga-paraty-ao-interior-de-sao-paulo-tem-trecho-restaurado

 


Professor(es) ou profissionais da FEN-UERJ relacionado(s) com esta notícia


Josué Setta,

Depto(s) ou Orgãos da FEN-UERJ relacionado(s) com esta notícia


dcct - Depto. de Construção Civil e Transportes

Galeria de imagens

Anexos


Avise Um Amigo
Avise um Amigo


Na sua opinião, qual a relevância desta notícia? (1=Pouco relevante, 5=Muito relevante)

1  2  3  4  5  
Relevância atual: 5.0 (2 votos | ver detalhes)


Comente esta notícia

(Para perguntas, verifique acima a forma de contato na notícia)
Seu nome
Seu E-mail (não será divulgado)
Seu comentário
Código de verificação (Repita a sequência abaixo)

Regras para comentários:
  • Comentários anônimos serão excluídos;
  • A postagem de comentários com links externos será excluída;
  • Não publicamos denúncias. Nestes casos, você deve encaminhar aos órgãos cabíveis ou indicados na notícia;
  • Comentários que fujam ao teor da matéria serão excluídos;
  • Ofensas e quaisquer outras formas de difamação não serão publicadas;
  • Os autores da notícia não monitoram os comentários, portanto não há garantias que serão lidos e/ou respondidos. Procure a forma de contato na própria notícia

Todos os campos são obrigatórios

 

Em 11/04/16 12:11 Luiz Sebastião Costa disse:

Parabéns Josué e toda equipe, que acompanho há muito tempo com um trabalho competente que enobrece Engenharia e principalmente a nossa Faculdade de Engenharia. Grande abraço Sebastião