NOTÍCIAS

Ver Notícias

Feed RSS

Assinar Notícias

Modificar/cancelar assinatura

Assuntos das Notícias

Alocação de Salas de Aula - Graduação

Assuntos Gerais

Comunicados Administrativos

Concursos Públicos

Coordenação Acadêmica

Cursos (Pós e Extensão)

Defesas FEN

Editais de Fomento à Pesquisa

Entrevistas

Estágios, Empregos e Bolsas

Fotos

Opinião

Palestras, Seminários...

Todas as Notícias

Publicações UERJ

Informe UERJ

Revistas Online da UERJ

UERJ em Dia

UERJ em Questão

Links

Links Didáticos

Lançamento Livro: 'nós, Ciborgues: Tecnologias de Informação e Subjetividade Homem-máquina'

Criada em 07/11/2012 12:36 por maperna | Marcadores: fen geral


lançamento do livro “Nós, ciborgues: tecnologias de informação e subjetividade homem-máquina”, de minha autoria, publicado pela editora Champagnat – PUC-PR, 2012. 

 

Encaminho abaixo as informações dos lançamentos, que acontecerão: no dia 07/11, durante o V Simpósio da ABCiber, e no dia 13/11, no Rio de Janeiro.

 

Data: 07 / 11 / 2012Horário: 19h30Local: Rua Coberta – Universidade Feevale – Novo Hamburgo

 

Data: 13 / 11 / 2012Horário: 19 às 22hLocalBlooks Livraria –Cinema Arteplex BotafogoPraia de Botafogo, 316 – Rio de Janeiro / RJ

 

Obrigada pela atenção.

 

Abraço,Fátima RegisProfessora do Programa de Pós-Graduação em Comunicação – UERJDiretora de Finanças da ABCiber - Associação Brasileira de Pesquisadores em Cibercultura 
Coordenadora do GP Cibercultura da Intercom

 

 

Convite:
"A Editora Champagnat e a Blooks livraria convidam para o lançamento do
livro Nós, ciborgues: tecnologias de informação e subjetividade homem-máquina.

O lançamento ocorrerá no dia 13 de novembro, na Blooks Livraria (Cinema
Arteplex - Praia de Botafogo, 316, Rio de Janeiro - RJ)."


Release:

 

Nós, ciborgues: tecnologias de informação e subjetividade homem-máquinade Fátima Regis – Editora Champagnat – PUC-PR, 2012, 222p.
“Popularizados pelos livros e filmes de ficção científica, os ciborgues escaparam do campo do imaginário. A integração homem-máquina é hoje um fato: a ciência altera o corpo humano e a tecnologia está presente em atividades sensoriais e cognitivas. Esses acoplamentos desafiam as fronteiras que definiam o humano como sujeito natural e pensante e a técnica como artificial e automática.Fátima Regis conta a história de como o desenvolvimento tecnocientífico do século XX automatizou o humano ehumanizou a técnica, gerando o ciborgue. A ficção científica tornou-se a narrativa que melhor traduz o mundo em que vivemos. Nós, Ciborgues propõe que, longe de serem meros produtos de entretenimento, as obras de ficção científica suscitam profundas interrogações filosóficas, como questionamentos sobre o que é o homem e qual a sua capacidade de intervir no mundo.Fazendo uma ponte sagaz entre ciências humanas e tecnológicas, Nós Ciborgues interessará não apenas a professores e estudantes das áreas de comunicação, psicologia, filosofia, tecnologia e ciências da computação, mas também a todos os curiosos em entender melhor este fantástico mundo novo, em que você pode ser o que escolher ser”.

Galeria de imagens

Anexos


Avise Um Amigo
Avise um Amigo


Na sua opinião, qual a relevância desta notícia? (1=Pouco relevante, 5=Muito relevante)

1  2  3  4  5  
Não há votos ainda. Seja o primeiro a opinar!


Comente esta notícia

(Para perguntas, verifique acima a forma de contato na notícia)
Seu nome
Seu E-mail (não será divulgado)
Seu comentário
Código de verificação (Repita a sequência abaixo)

Todos os campos são obrigatórios


Regras para comentários:
  • Comentários anônimos serão excluídos;
  • A postagem de comentários com links externos será excluída;
  • Não publicamos denúncias. Nestes casos, você deve encaminhar aos órgãos cabíveis ou indicados na notícia;
  • Comentários que fujam ao teor da matéria serão excluídos;
  • Ofensas e quaisquer outras formas de difamação não serão publicadas;
  • Os autores da notícia não monitoram os comentários, portanto não há garantias que serão lidos e/ou respondidos. Procure a forma de contato na própria notícia

 

Não há comentários ainda.